Olá, não vou dizer quem sou, pois, isso não é importante. Também não vou citar qual é meu canal ou qualquer coisa do gênero, por que também não é importante. Apenas vim citar a minha experiência como youtuber. Espero que esse relato, possa significar algo para vocês e que vocês não sigam o meu exemplo, em nenhum momento, isso é, se quiserem ter algum sucesso no Youtube.

Vamos começar com uma simples pergunta: O que é sucesso para você? Muitos poderão responder que é ter uma vida financeiramente estabilizada e ter conforto financeiro. Poucos outros vão dizer que é ser feliz naquilo que faz. O que eu acho sobre isso? Para mim para você ser uma pessoa de sucesso, você tem que ser feliz, acima de tudo. Dinheiro traz felicidade? Isso não funciona para mim. Eu dou valor as coisas que não se podem comprar. Eu acredito que um homem ou mulher de sucesso, é aquele que é reconhecido, naquilo que faz. Posso citar vários nomes aqui, mas pelos nomes citados, algumas pessoas já vão descobrir quem eu sou, portanto, prefiro o anonimato.

Já que estávamos falando em reconhecimento, vamos voltar ao assunto principal desse relato, que é o Youtube e também o meu fracasso. Eu decidi começar o canal com apenas uma razão: fazer as pessoas rirem. ( Acreditem ou não, esse era o motivo. ) Eu peguei o que eu mais sabia fazer, que era fazer as pessoas rirem e decidi abrir um canal fazendo as coisas que gosto. Os sonhadores e credores vão dizer que isso que é o mais importante fazer o que gosta e o sucesso é conseqüência. Não para o Youtube, mas pode funcionar em outras coisas.

Fazer o que você gosta é uma forma mais humana e menos estressante de criar conteúdo, mas não é a forma mais “sucessível” para os youtubers. Muitos dos famosos têm o conteúdo de seus canais, não por que gostam, mas por que dá dinheiro. Muitos dos famosos youtubers, usam clickbaits, imagens chamativas, técnicas de marketing e habilidades de controle de público. Ao mesmo tempo que o Felipe Neto “acusa” os youtubers de fazerem isso, ele também critica. Então todo aquele papo de que: “ Fazendo o que gosta, com o tempo você vai vencer e seu canal será tão grande quanto o do Whinderson Nunes.” Isso não existe, nem mesmo para eles.

Os youtubers se vendem para campanhas, para marcas, para a televisão, para tudo. Eles começam a fazer vídeos que os patrocinadores os obrigam a fazer, ignorando completamente o público que os acompanha, desde a época “Não-famosa”.

Um grande exemplo disso, é Mr.Poladoful. Um cara que era um gamer, suas gameplays eram as mais engraçadas já existentes. O canal dele cresceu e se estabilizou com as gameplays e do nada, ele resolveu mudar para vlogs e coisas triviais que não me interessam nem um pouco. É bom mudar? É ótimo fazer mudanças… Mas não esquecer a base inicial é a maior das virtudes.

Sabendo que os youtubers falsificam as imagens tratadas por eles, o que pensar de um canal pequeno que ainda nem tem a própria identidade? Percorrer pelos vales dos clickbaits? Colocar thumbnails com peitos e bundas à amostra, sem ter noção? Comentar em vídeos famosos para se inscrever no canal e jogar a ética e o bom-senso pelo rio abaixo? Investir o dinheiro que você não tem em propagandas, impulsão, destaques?

São perguntas difíceis para quem ainda não sabe o que fazer, mas não para mim. O meu propósito desde o início como eu disse, era fazer as pessoas rirem. Sei do meu público e do nicho que escolhi. Sei que comparado a um canal de um vlogger bonito e que tem popularidade, meu canal não é nada. Sei que comparado à canais que fazem análises e notícias sobre games, também meu canal não é nada. Afinal, meu canal é apenas para aqueles que querem relaxar um pouco e dar boas risadas, mas poucas pessoas querem fazer isso no Youtube. Hoje o que as pessoas mais procuram ver é treta e não zueira.

Eu poderia sim, mudar drasticamente o meu canal para vlogs, falar sobre assuntos do dia a dia, fazer gameplays mais sérias e com o propósito de ajudar as pessoas com tutoriais e etc. Mas eu estaria sendo eu? “Eu prefiro ser odiado pelo que sou, do que amado pelo que não sou.” Entenderam?

O que eu mais valorizo nessa vida, é cada um ser você mesmo. Por que se você não ser você, quem então vai ser? Então, são dois anos de zueiras e vídeos nesse formato. Muitos deles me surpreenderam e todos eles sem deixar nenhum, foram feitos da mesma maneira com a mesma atenção e com o mesmo propósito, fazer as pessoas rirem.

Mas então por que você é um fracasso? Você deve estar se perguntando isso e eu irei lhe responder. Passo uma semana editando um vídeo, as vezes, até duas. Quando chego a postar o vídeo, ele atinge no máximo cem visualizações. (Isso já é quase impossível.) Comecei a colocar na balança se vale ou não vale a pena continuar assim. Tracei uma meta no começo de 2016, que até dezembro eu teria que ter 1.000 inscritos. Mas a meta não é pelos números, ou pelas visualizações… A meta é pelo meu reconhecimento, pelo meu trabalho e dedicação. São horas e horas editando vídeos que eu poderia passar com minha esposa, com meus pais, com meus cachorros e gatos. Eu poderia passar horas jogando ao invés de editando, passar horas estudando, cursando algo para minha vida profissional ou mesmo viajando e fazendo planos para o futuro.

Vamos fazer uma simples comparação… Whinderson Nunes. Ele tem um nome bonito? Não, nem eu. Ele é bonito? Não, nem eu. Ele é engraçado? Sim, eu também. Ele canta bem? Sim, mas eu não. Ele tem treze milhões de inscritos, eu não cheguei a mil, seria a minha voz o problema?

Claro que isso é uma piada, mas apenas comparando as proporções do momento… Whinderson Nunes é a maior celebridade do Brasil. TODOS falam bem dele, o idolatram, tentam ganhar em cima dele de alguma forma, seja falando bem ou não, mas… Eu particularmente não gosto dele e não vou cair nas graças do povo tentando ser igual ele.

Entende onde eu quero chegar? Sei que até dezembro de 2016 eu não vou cumprir a meta. Quando eu tracei essa meta em janeiro, eu já sabia que era impossível, mas fui perseverante e estou sendo até agora. Quando o ano novo vier, já não quero mais estar nesse meio de Youtube, como eu disse… Eu prefiro manter a minha integridade de não usar clickbaits, de não mudar o meu canal, de não usar da falsa thumbnails. Eu prefiro ser eu e fazer o que eu gosto até o final, mas eu estarei desistindo, isso me torna um fracassado. Sendo fracassado ou não, eu mantive o que eu me prometi a fazer e ao meu ver, isso já é um grande sucesso.

As vezes eu até penso que o fiasco do meu canal é a falta de amigos. Tenho diversos colegas na internet, converso com bastante, mas… amigos mesmo, é difícil. As vezes acho que é falta de apoio. Apoio dos familiares, digo em relação à pai, mãe, tios e tias. As vezes eu acho que é por que a minha voz é horrível e eu ainda tenho a tendência a gravar covers e raps. As vezes eu penso que o universo conspira contra mim, mas eu li O Alquimista e aprendi que quando um homem tem um sonho o universo todo conspira a favor do homem, no meu caso, eu não existo para o universo, rs.

Enfim, espero que quem chegou até aqui, tenha entendido um pouco e jamais me use como exemplo para desistir e sim para nunca se rebaixar ao meu nível. Não tenham dó de mim e tentem buscar o meu canal, por que, se eu souber que você se inscreveu por dó, aí o chicote vai pegar e vou hacker sua conta e descobrir onde você mora e jogar uma sacola de bosta fresca na sua cara. (Eu tenho o dom de cagar em sacolas e jogar na turma, daria um bom vídeo, né?)

Enfim, é isso galera. Até nunca. E lembre-se, como o velho sábio já dizia antes mesmo de aprender a falar:

“O homem que peida, um dia vai cagar. Então é melhor morrer cagado do que viver peidando.”

Vinicius Peron Crepaldi
Gosto de peixe cru, tipo sushi, sashimi. Também curto muito Coca-Cola, mas sou fã da Pepsi. Quando vou almoçar o arroz vem primeiro que o feijão. Sou homem, heterossexual. Já assiste o filme de Gretchen e ri muito. Falo sobre peidos e bostas. E se me chamar para ir na sua casa, dê-me alimento, ficarei feliz!

Pin It on Pinterest

Share This

Seja um Verdadeiro Youtuber

Você se inscreveu com sucesso!