Todo youtuber que se prese já ouviu falar de PewDiePie, atualmente tido como o maior youtuber do mundo, com mais de 46 milhões de inscritos. Também conhecido como Felix Kjellberg (seu nome verdadeiro), o popular youtuber foi envolvido recentemente em um “escândalo” midiático sobre uma campanha publicitária da Warner Bros. para o jogo “Lord of The Rings: Shadow of Mordor”. Diversos blogs e sites de notícias divulgaram, na última semana, artigos falando sobre a campanha que consistiu em patrocinar youtubers para fazer vídeos sobre o jogo. O grande problema, segundo esses sites, é que a campanha não estaria de acordo com as regras da FTC (orgão que regulamenta campanhas publicitárias nos EUA), pois a Warner Bros. não deixou claro nos termos do patrocínio que os youtubers deveriam anunciar claramente que o vídeo era patrocinado. Felix foi um dos youtubers patrocinados nessa campanha, para fazer um vídeo sobre o jogo.

Por ser amplamente popular, as manchetes focaram nele, como forma de atrair a atenção do público para a notícia, uma prática conhecida como “clickbait”, ou “isca de cliques”, quando um site utiliza de manchetes enganosas para atrair o clique das pessoas para seu site, para ganhar audiência. O problema, é que essas matérias eram enganosas e afetaram injustamente e negativamente a imagem do youtuber. Isso porque a alegação era de que ele não teria deixado claro que o vídeo foi patrocinado pela produtora de jogos e estaria enganando sua audiência com um review onde ele teria sido pago para falar bem do jogo.

Em primeiro lugar, PewDiePie não é um avaliador (“reviewer”), ou seja, ele não fez um vídeo de avaliação do jogo, ele apenas o jogou. A imprensa alega que suas opiniões sobre o jogo teriam sido influenciadas pelo pagamento do patrocínio, por isso ele teria que informar ao público que foi pago para fazer o vídeo sobre o assunto. A questão é, ele fez isso. Na descrição do vídeo está claramente escrito “Este vídeo foi patrocinado pela Warner Bros.”, com links para o site do estúdio e do jogo. Outra alegação é de que, mesmo estando na descrição, não fica claro o patrocínio pois o YouTube esconde a descrição do vídeo, só revelando seu conteúdo se a pessoa clicar em “Ver Mais”, e por isso não ficou totalmente claro o patrocínio.

O ponto mais importante dessa discussão, é que centenas de youtubers receberam o mesmo patrocínio, e a grande maioria deles não colocou qualquer aviso sobre isso, ao contrário de PewDiePie, que avisou sua audiência, mas nenhum deles é citado nas matérias. Por isso fica óbvio o mau-caratismo dos “jornalistas” ao usarem o seu nome apenas para atrair mais cliques. Um grande problema disso é que a maioria das pessoas não lê as matérias por completo e não checa as fontes das notícias, apenas visualiza a manchete em uma rede social e compartilha, sem saber do que está falando e manchando a imagem da pessoa injustamente.

Outro ponto (muito importante) sobre isso, é que o vídeo dele foi feito em 2014. Na época, ainda não havia essa regra publicitária de ter que informar o patrocínio no YouTube, mesmo assim PewDiePie o fez, ao contrário de vários outros youtubers patrocinados. A regra só entrou em vigor em 2015. Então por que o nome dele está sendo usado de forma injusta pelos “jornalistas”?

É importante que nós, youtubers, estejamos atentos a essa questão, pois o patrocínio de vídeos é uma forma honesta de conseguir rendimentos à partir do canal e é uma prática bastante comum, principalmente nos EUA. No Brasil, ainda vemos pouca atenção das marcas nesse mercado, principalmente da indústria dos jogos, sendo mais comum vídeos patrocinados dos fabricantes de cosméticos e roupas. Temos que frisar que não há nada de errado em aceitar um patrocínio para falar sobre um produto, um serviço ou uma marca, a mídia tradicional faz isso há décadas e é uma forma legítima de ganhar dinheiro. Acredito que o grande problema seja justamente a mídia tradicional estar perdendo espaço publicitário para produtores independentes e, por isso, surge uma necessidade de “atacar” esses produtores para diminuir seu mercado.

O que fizeram com PewDiePie foi uma injustiça, uma maneira falsa e torpe de ganhar audiência às custas da popularidade de alguém, inventando mentiras e minando a imagem da pessoa. Muitos comentários nos blogs que noticiaram isso demonstraram justamente essa reação negativa, onde as pessoas disseminavam seu ódio irracional contra o youtuber, agora justificados por sua “falta de ética”, sendo que ele agiu de forma correta e, inclusive, acima do esperado para as regras da época.

Alguns blogs e sites de notícias que divulgaram o artigo, disseram que “aguardavam uma resposta de PewDiePie sobre o assunto”. Felix gravou um vídeo sobre isso e nele disse o seguinte para os “jornalistas” falaciosos: “Eu não preciso de vocês. Eu tenho minha audiência e posso falar com eles. Você são, literalmente, insignificantes. É por isso que vocês estão arrastando essa merda, e eu acho que vocês sabem disso. Essa é minha resposta”.

Eu só tenho a dizer que concordo plenamente com ele.

Veja o vídeo completo abaixo (em inglês):

E você, o que acha desse “escândalo” inventado pela mídia para se beneficiar da popularidade do youtuber?

Douglas d'Aquino
Fundador e Atual Presidente do Grupo Os Verdadeiros Youtubers, entusiasta do mundo dos jogos, youtuber, web designer, marketeiro, blogueiro e viciado em Facebook.

Pin It on Pinterest

Share This

Seja um Verdadeiro Youtuber

Você se inscreveu com sucesso!