A nova fase do canal Falagui está mostrando a que veio. A melhora nos vídeos do Guilherme é notável, desde o início do canal, ele nos mostra como um youtuber pode se preparar para encarar seu canal e seu público, aos poucos, com simplicidade e criatividade. Tenho certeza que as contribuições que o Guilherme sempre nos deu no grupo, são fruto do aprendizado que adquiriu em sua jornada até aqui. Mas é só o começo, e com certeza o canal tem muito ainda a crescer.

Nesse vídeo ele aborda um tema que eu acho muito interessante. Deixarei, abaixo do vídeo, a minha opinião sobre o tema.

Alimentar o ódio alheio para fins de marketing. Incitar fortes emoções e, consequentemente se aproveitar delas, é uma maneira bastante eficaz de alcançar mais público. A questão, acredito, deveria ser mais do ramo ético do que estatístico. Mesmo que traga grandes vantagens em números imediatos, vale a pena espalhar o ódio para ganhar mais visibilidade?

Vamos pegar o Aruan Félix por exemplo. Nunca tinha ouvido falar dele, não gostei dos vídeos dele quando fui ver, não curto a vibe dele. Mas temos que admitir, ele conseguiu um alcance absurdo ao escandalizar a comunidade youtuber serrando a tão sonhada placa de 100.000 inscritos, que é o primeiro reconhecimento oficial do YouTube sobre seu trabalho. Eu não concordo com o que ele fez, eu não faria. Muita gente passou a odiá-lo sem sequer conhecê-lo, somente por isso. Outras idolatraram a “zueira”, e a “coragem” do herói. Resultado: o vídeo dele tem 20 milhões de visualizações. Um vídeo com resultados tão bons podem render cerca de U$ 20 mil dólares. Desde o ocorrido, o canal dele cresceu vertiginosamente, alcançando hoje 2.646.612 inscritos. Quem mais falou sobre o Aruan foi quem estava odiando essa história, foi quem propagou o ódio coletivo, quem fez milhões de pessoas conhecerem ele. Aruan foi sim muito bem viralizado, graças a quem o odeia.

No caso da queima de livros de outros youtubers, a intenção é justamente a mesma. Sabendo que diversas pessoas nutrem um preconceito contra determinadas mídias (séries, filmes, personagens, livros, celebridades, youtubers, etc) sabem que esses temas geram reações fortes e isso ajuda a impulsionar seus vídeos, tais quais as tretas, das quais o próprio Guilherme também abordou em um outro vídeo.

Enfim, essa é minha opinião sobre o tema, qual a sua?

 

Douglas d'Aquino
Fundador e Atual Presidente do Grupo Os Verdadeiros Youtubers, entusiasta do mundo dos jogos, youtuber, web designer, marketeiro, blogueiro e viciado em Facebook.

Pin It on Pinterest

Share This

Seja um Verdadeiro Youtuber

Você se inscreveu com sucesso!